quarta-feira, 20 de maio de 2009

O Beira-Rio se calou...



Abri os olhos pela manhã e o primeiro pensamento que me veio a cabeça foi: É HOJE!

Sempre que penso em algo relacionado ao Inter, penso em vitória! Se fosse pelos meus pensamentos e prognósticos, o Inter jamais teria perdido 1 ponto em sua história centenária! Mas futebol não é assim, e é isso que me assusta...Sou torcedor, sempre tenho confiança, mas reservo um espaço em meu coração para o medo, para aquela pontinha de dúvida!

Quando vi aquele gol do Flamengo me apavorei, pensei que tudo estava perdido! É muito complicado sair do estádio de cabeça baixa, inchada, e quando chegar em casa, não conseguir dormir, tentando entender o porque...

Mas eu sabia que o segundo tempo seria uma guerra! E foi! O Inter amassou, esmagou, empurrou os cariocas contra o seu próprio campo.
O Toró já não achava mais o D'Alessandro, Taison entortava a coluna dos zagueiros rubro-negros, Nilmar acelerava em direção ao gol, mas a bola sempre encontrava como destino, as traves ou as mãos do goleiro Bruno!

Eu já não sabia mais o que fazer, minhas unhas já haviam sido comidas, todas. O gol de empate marcado a pouco, não era suficiente. Quando um misto de apoio e angústia tomava conta do estádio, aquele apito! Uma falta próxima a área a pouco menos de 5 minutos do derradeiro segundo do espetáculo...

Quando o jogador colorado ajeitou a bola, como se conversasse com ela, olhei para o céu e ouvi...O SILÊNCIO! De olhos fechados, era ainda mais ensurdecedor, temível. O silêncio era tão "alto" que quase se ouvia as águas do guaíba fazendo onda em sua márgem. Foi aproximadamente 1 minuto do mais absoluto nada! Como se no Beira-Rio não estivesse ninguem, ou melhor, apenas eu!

Quando uni as mãos em forma de oração, próximas ao rosto, uma EXPLOSÃO! 50 mil pessoas pulavam, choravam, sorriam, fui abraçado por pessoas que nunca vi na vida, depois disso só lembro de estar sentado a frente do computador, esperando ele iniciar, para que eu pudesse saber o resultado do jogo...

2 comentários:

Alexandre Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe Cunha disse...

Mas que belo texto! Parabéns meu bruxo! E hoje a noite é nossa! ;o)