sábado, 6 de junho de 2009


Sei que é cedo para analisar a final da Copa do Brasil 2009, mas hoje a partir das 21horas, o torcedor colorado terá a primeira oportunidade de acompanhar o seu adversário nessa decisão.
Sabe-se que a equipe corintiana estará descaracterizada, pois não terá metade do time titular, mas sempre pode-se tirar algumas conclusões do sistema tático da equipe de
Mano Menezes.

Como bom adepto do sistema 4-4-2,
Mano, sempre propõe que a equipe tenha uma saída de bola qualificada com um dos alas, e no caso atual o nome é André Santos, deixando o setor defensivo para o qualificado Alessandro. Aí está um dilema, porque o treinador não terá esse jogador no primeiro jogo da decisão, e esse encargo sobrará ou para Chicão ou para Alessandro, e convenhamos que a qualidade cai bastante. Mas, como entendo que Chicão e Alessandro estarão muito ocupados com o Taison, ele puxará um dos volantes para fazer essa saída e o setor de meia cancha vai estar com um jogador a menos, criando assim a possibilidade do Inter vencer esse duelo tático no jogo de ida.

Por outro lado, o treinador colorado terá a disposição o que há de melhor em todos os setores, apenas com a perda de
Nilmar, que é do último setor da equipe, que é substituído à altura pelo centroavante, Alecsandro. Ou seja, o colorado não vai sofrer de qualificação na saída de bola e nem na dinâmica de jogo.

Com essa breve análise dos fatos, entendo que o treinador
Tite tenha que ousar no jogo do Pacaembu e avançar sua marcação contra a saída de bola corintiana, forçando a equipe paulista a dar chutões. Tivemos um exemplo recente disso, com o Vasco da Gama que é um time muito inferior ao Internacional, e soube se impor contra o Corinthians em São Paulo, obtendo um empate em 0 x 0.

Essa final promete...

2 comentários:

Felipe Cunha disse...

A muitos anos a Copa do Brasil não tenha uma final deste porte.

Concordo com tuas análises Pedro, se o Inter conseguir surpreender no Pacaembu é muito difícil o "Timão" reverter aqui no Rio Grande!

Fernando Amoretti disse...

Pedro, ótima análise tática.
Somo a tudo isso que escreveste, o fato de o Inter e toda nação colorada está engasgada com um número: 2005.

E essa motivação vai fazer o Inter crescer no Pacaembu e principalmente no Gigante da Beira-Rio, Templo dos Sonhos do torcedor colorado.

Saudações...