terça-feira, 7 de julho de 2009

A AVALANCHE VAI ACABAR?


No domingo passado tivemos uma situação inusitada no estádio olímpico. A torcida Geral do Grêmio fez um protesto contra o presidente Duda Kroeff.

A mais famosa torcida "organizada" do tricolor gaúcho quer regalias. Ela merece? Aliás, alguma torcida merece?

Indiscutívelmente, a Geral faz bem ao clube, pois muitas vezes(quase sempre), é de lá que partem os gritos e cantos de apoio e amor ao clube.

Duda Kroeff, entrou em rota de colisão com a principal torcida organizada do clube, logo que se tornou presidente, cortanto verbas e incentivos que os "argentinos tupiniquins" estavam acostumados.

Hoje, seus integrantes cobram do atual presidente subsídios para que possam entrar no estádio e torcer. Querem ingressos, viagens.

Mas ora bolas, como eu fui ingênuo, durante anos, imaginei que a Geral fosse uma torcida louca, alucinada, completamente apaioxanada pelo seu clube, mas eu me enganei.

A Geral, é uma torcida profissionalizada, querem ser pagos para torcer.

Portanto Duda, caso queira continuar ouvindo os cânticos portenhos vindos de trás do gol, é bom pagar, caso contrário, é capaz de vermos avalanche em outras arquibancadas e em outras cores...

PS: Antes que me critiquem, este post fala EXCLUSIVAMENTE da Geral do Grêmio, mas isto não impede que o texto sirva para torcidas de outros clubes.

Abraços!

9 comentários:

Fernando Amoretti disse...

Organizada tem que pagar pra entrar em estádio de futebol, seja ela qual for.
Eu pago, e torço.
O espetáculo é o futebol e não uma torcida ou outra.
Todos somos torcedores.

Felipe Cunha disse...

Idependente de clube ou torcida isso é absurdo. Sou e sempre fui contra torcida organizadas.

Outra coisa não gosto de torcida que não vaia, é típico de ato que acomoda direção.

Pedro Rafael Marques disse...

Argentinos tupiniquins? Pensei que a língua espanhola fosse falada em outros países além da Argentina.

E que bom que ela serviu de exemplo para algumas torcidas do Brasil e principalmente para o RS.

Felipe Cunha disse...

Pedro,

Alguém mais faz avalanche? Alguém mais canta em "castelhano"?

Além do mais o foco do post não é para discutir " a festa" que a Geral ou qualquer outra torcida faz. Mas sim esta barbaridade de exigir subsidios.

Eu sou sócio, pago todos os meses e não ganho nem estacionamento de graça para ir aos jogos. Se o clube QUISER ajudar ok, mas isso não pode ser exigência! Onde esta o amor ao time, a paixão, a devoção, onde? Só aparece quando recebe por isso?!

Pedro Rafael Marques disse...

Desde o surgimento das torcidas organizadas, ocorre esse tipo de apoio por parte das direções, e isso ficou mais latente, a partir do momento em que os integrantes dessas torcidas se tornaram sócios do clube.

A questão é muito mais política do que simplesmente um assunto que envolva dinheiro para apoiar o clube. Isso nunca foi o perfil da Geral e nunca será.

Felipe Cunha disse...

Pedro, me desculpe. Sei que tu tens conhecimento de causa, conhece o Grêmio internamente.

Mas para mim é uma questão bem simples: Os líderes da geral estão exisgindo "este apoio" e o clube não tem obrigação de dar.

Não vejo de forma diferente.

Felipe Cunha disse...

Outra coisa, ano passado a imprensa investigou a fundo esta situação. E descobriu inclusive que alguns líderes da torcida "vivem", se sustentam com a receita gerada pela geral e com este apoio da direção.

Pedro Rafael Marques disse...

Esse fato ocorre há muito tempo, e em todas as torcidas do mundo. O que não deve acontecer, são dirigentes e conselheiros que se fortalecem às custas desses torcedores. Acho isso mais grave, porque o torcedor acompanha o clube em qualquer momento, já o dirigente interesseiro, só quando lhe convém.

Felipe Cunha disse...

É uma leitura, o dirigente esta ali para fazer futebol, a torcida deve ser encarada como tal.

Sou contra subsídios. No máximo concordo que sejam disponibilizado onibus para viajens, mais nada.