quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

ANDREZINHO E +10


A estréia colorada na competição mais importante da América, não chegou a ser preocupante já que eu esperava derrota, quando muito um empate devido as estatísticas.
O time mostrou-se nervoso e isso é normal em qualquer estréia de Libertadores.
Porém o que realmente preocupa é a postura altamente defensiva do time de Jorge Fossati. 
Não quero falar mal de Giuliano pois conheço a qualidade desse jogador. Mas infeizmente em 2010 ele não é sombra do foi em 2009.

O jogo de ontem foi marcado pela entrada de um jogador que vem pedindo passagem há muito tempo: Andrezinho, foi decisivo em muitos momentos de 2009 e ontem mudou a história e mais importante que isso, mudou  a atitude do time em campo.
E para aqueles que falam do Alecsandro, deixo seus 28 gols na temporada passada e seus gols que vem fazendo em 2010, no lugar certo, na hora certa.

Concluindo, se o time tem mais poder ofensivo, ou até mesmo maior equilíbrio com a entrada de Andrezinho, eu afirmo o colorado que pode ser campeão da América, começa com Andrezinho e +10.

Saudações...

4 comentários:

Felipe Cunha disse...

Que golaço do Nei!

Fagner Pereira disse...

Olha, eu acompanhei o jogo do Inter e vi um Giuliano preso a marcação. Só. Ele antes do Fossati parecia ter mais movimentação, ser mais flutuante na intermediária. Hoje ele parece preso, aliás, acho que isso é uma determinação de Fossati, pois todo o time está guardando posição em campo. O que pode não ser ruim, mas eu vi o Corinthians ganhar ontem com dois gols de um jogador da meia fazendo ultrapassagens e chegando a frente.

Felipe Cunha disse...

Concordo com o Fagner, no Beira Rio eu ainda comentei que o Inter estava flutuano pouco, sem troca de posição.

Felipe Faria disse...

Eu ja havia dito no começo do ano, que o principal reforço do Inter seria a permanencia de Andrezinho. Esta aí o resultado.
No caso do Giuliano, ele precisa que alguem se aproxime. Tanto faz se do ataque ou alguem do meio de campo, seja o Andrezinho ou o Taison o Inter precisa de jogadas de aproximação, os dois gols do Corinthians aconteceram assim.