terça-feira, 25 de maio de 2010

60% PARA OS GRINGOS



Como ao torcedor não custa sonhar, eu não sou diferente e estou sonhando com meu colorado campeão da Libertadores e Mundial Fifa novamente.
Fiz um pequeno levantamento que segue, em relação ao Mundial de clubes dos últimos 10 anos e contastatei que para tristeza sulamericana, os europeus levaram a melhor 60% das vezes, nos confrontos intercontinentais de 2000 a 2004. E na Copa do Mundo de Clubes de 2005 a 2009.

Libertadores 2000 - Boca
Champions 2000 - Real Madrid
Campeão - Boca

Libertadores 2001 - Boca
Champions 2001 - Bayern munich
Campeão - Bayern

Libertadores 2002 - Olimpia
Champions 2002 - Real Madrid
Campeão - Real

Libertadores 2003 - Boca
Champions 2003 - Milan
Campeão - Boca

Libertadores 2004 - Once Caldas
Champions 2004 - Porto
Campeão - Porto

Libertadores 2005 - São Paulo
Champions 2005 - Liverpool
Campeão - São Paulo

Libertadores 2006 - Inter
Champions - Barcelona
Campeão - Inter

Libertadores 2007 - Boca
Champions 2007 - Milan
Campeão - Milan

Libertadores 2008 - LDU
Champions 2008 - Manchester United
Campeão - Manchester United

Libertadores 2009 - Estudiantes
Champions 2009 - Barcelona
Campeão - Barcelona

E mais uma vez sonhando vou colocar aqui o resultado de 2010:
Libertadores 2010 - Inter
Champions 2007 - Inter Milão
Campeão - Inter

O que quero dizer com este post é que apesar de estarem em vantagem, os times europeus não são aquele bicho-papão que se pinta por aqui. Ano passado o Estudiantes perdeu o título no detalhe, no físico. O Barcelona teve de parir uma bigorna para vencer o time argentino que exerceu uma pressão razoável sobre o time catalão.
Quanto a Libertadores deste ano e o possível Mundial, tudo está se encaminhando.
Vejam:
Em 2005, o Inter foi vice-campeão brasileiro. Em 2009, também.
Em 2006, o Grêmio foi campeão gaúcho sobre o Inter. Em 2010, também.
Em 2006, Abel era contestado, pelo esquema, pelas peças que coloca em campo. Em 2010, isso é claro com Fossati.
Em 2006, tivemos um Grenal entre uma semifinal e outra. Em 2010, também teremos.

Tudo está conspirando. Já provamos mais de uma vez que o Estudiantes é nosso filho. Já provamos em 2006 que em Libertadores, o São Paulo é nosso filho. Já provamos em Dubai que o Internazionale de Milão é nosso filho. Então pensei:

Falando em Libertadores: ano passado o Grêmio foi eliminado pelo Cruzeiro que foi eliminado pelo Estudiantes. Seguindo a linha de raciocínio, o Estudiantes é pai do Cruzeiro e avô do Grêmio.

ATENÇÃO GRÊMIO...O INTER É TEU BISAVÔ.
Rumo ao Bi da América e do Mundo.

Saudações...

5 comentários:

Felipe Cunha disse...

Apesar do post ser um tanto quanto "sonhador", e não há nenhum problema nisso. O Fernando reforça minha tése: Corneta não é para qualquer um, é necessário ter talento.

Parabéns Fernando, sensacional!

Pedro Rafael Marques disse...

Pra cornetear com talento, tem que ter dados bem consistentes.

O meu clube enfrentou o Estudiantes em 6 oportunidades, venceu 3, empatou 2 e perdeu apenas uma.

E aliás, na que perdeu em Porto Alegre por 1 x 0, meteu 3 x 0 em La Plata no jogo de volta.

O Estudiantes é a quinta ou sexta força do futebol argentino, isso é fato.

E quanto aos comparativos, o time de 2006 é tão superior ao de 2010, que até o limitadíssimo Abel foi campeão.

ATENÇÃO: Quando decido com o teu time, dou volta olímpica, e há 13 anos não sei o que é perder campeonato pra ti.

Pense bem, quem tem 18 anos, nunca viu o Inter gritar é campeão sobre o GRÊMIO. Já o sentido inverso é bem diferente.

Felipe Cunha disse...

Opa, agora temos um debate descente. Vamos a ele...

Estudiantes quinta ou sexta força? Acho que tu exagerou Pedro. O Estudiantes é ATUALMENTE a PRIMEIRA força argentina, já que Boca e River estão em crise. Levando em consideração as grandezas acho que o time de La Plata perde para Boca, River e Indepediente, acho que Velez esta abaixo do time do Veron (acho). Não vejo outros clubes da Argentina de mais tradição que o Estudiantes.

Sobre os enfrentamentos entre Grêmio e Estudiantes, nada a declarar. O que pode se dizer é que transformaram uma "borração de calça" coletiva em "na batalha de La Plata", mas tudo bem, tudo que que o Grêmio conquista se coloca o sobrenatural no meio (a imortalidade), pena que nas derrotas nunca sabem explicar aonde foi parar a tal "imortalidade".

Discordo quando tu diz que o Abel é limitadíssimo, ele foi fundamental nos jogos diante do São Paulo (nas finais) e diante do Barça no Mundial. Claro que ele tem suas fraquezas, mas é sim um bom treinador, ainda mais se tratando de treinadores brasileiros.

Em relação aos confrontos diretos: Quando decide o que cara pálida? 13 anos? Só para lembrar que nestes "13" anos foram 3 enfrentamentos, apenas 3, e os 3 pelo campeonato gaúcho.

E só para lembrar que EM TODOS OS MATA-MATA (exceto gauchão) em que a dupla se enfrentou, o Internacional eliminou o Grêmio, EM TODOS! Estou mentindo?

Uma coisa é inegável Pedro, tu tem muito talento com as palavras. Mas tu superestima alguns feitos do teu time.

Touchê.

Pedro Rafael Marques disse...

O Estudiantes ficou 35 anos sem chegar próximo às finais da Libertadores. Uma geração inteira não sabia o que era ser campeã da América. Viu o seu clube ser ultrapassado pelo Independiente, Boca, River, Racing e até pelo Velez. Clubes que nesse período, sobrepujaram a força do time de La Plata. Teve duas temporadas de sucesso (2008/2009), e em 2010 voltou ao normal. Perdeu um Campeonato nacional para o desaparecido Argentinos Jrs e as quartas de final para o contestado time colorado.

Borração de calça, é o cai-cai que o teu time proporcionou dentro da Vila Belmiro em 1993, ao ficar com 8 jogadores em campo. O meu time nunca fez isso. Jogar Libertadores onde tem 30 câmeras filmando o jogo, qualquer um vira macho. Agora, ganhar Libertadores como se ganhava nos anos 70 e 80, nenhum time brasileiro teve a capacidade de vencer, inclusive o Inter de Falcão que era uma máquina.

Decisão pra mim é final, perder nas oitavas, quartas e semifinais, é prova de incapacidade. Agora a hora de separar os inocentes dos perversos, meu time leva ampla vantagem sobre o teu.

Grite Uh Fabiano! pois foi a última volta olímpica tua que assisti ante ao meu clube.

Felipe Cunha disse...

Tu vê né...Os anos passam e as pessoas mudam...

Na década de 90 quando meu time que praticamente só ganhava gauchão, nós colorados eramos alvos de chacota pela ala azul do Rio Grande. Bastou os anos passarem, o Internacional voltar as grandes conquistas que antes o campeonato gaúcho, vulgo cafézinho virou sinônimo de "DECISÃO". Sendo considerado mais importante até do do que semi-final de campeonato brasileiro.

É Pedro meu amigo, as coisas mudam realmente, conforme os resultados vão acontecendo o nível de exigência acaba crescendo, ou caindo...Caso de vcs gremistas.

Parabéns pelos emblemáticos títulos gaúchos sobre o Internacional, eu ao contrário dos gremistas valorizo o Gauchão e não gosto de perde-lo, principalmente para o arqui-rival. Mas graças a Deus meu clube nestes últimos anos tem buscado voôs maiores oque acaba infelizmente prejudicando a conquista do campeonato pampeano.

Sobre o cai-cai de 93, realmente foi uma vergonha. A diferença é que eu sei bem separar o que é vergonha de algo realmente épico.