quarta-feira, 16 de junho de 2010

ESTRÉIA CANARINHO



A estréia da Seleção Brasileira não foi diferente de nenhuma outra grande seleção nesta Copa do Mundo que tem sido paupérrima tanto no nível técnico que consequentemente resulta em falta de gols.

À exceção da Alemanha que jogou bom futebol e goleou a fraca seleção da Austrália. Fez o que tinha que fazer.
O Brasil sofreu contra a fraca Coréia do Norte, devido única e exclusivamente pela falta de qualidade do grupo brasileiro graças ao Dunga. Kaká está baixo, sem flexibilidade, sem tempo e ritmo de jogo. Luís Fabiano está sem embocadura.

A Seleção entra sem dois jogadores. A grande estrela que tem queimado minha língua é Robinho que procurou o jogo, participou ativamente da partida dando excelente passe para Elano.
Quanto a zaga, assim como a Tanzânia fez seu gol. A Coréia do Norte arranjou seu gol em bobeira da defesa que se mostra muito fragilizada quando atacada.

O grande teste acontece no domingo contra o bom time da Costa do Marfim que é excelente marcador. A complexão física dos marfinenses impressiona e para jogadores como Robinho, Kaká com medo, e Michel Bastos será complicado.

A grande suspresa da primeira rodada foi a derrota da Espanha para a Suiça que passou defendendo-se e achou seu gol em contra-ataque rápido e certeiro.

Quanto ao resto do Mundial aos deuses do futebol pertence.

Saudações...

Um comentário:

Felipe Cunha disse...

Realmente o Robinho jogou bem, foi o melhor do Brasil. Mas muita calma nessa hora, quero ver ele decidir jogos mai lá na frente.

A escacez de gols desta Copa chega ser irritante.