segunda-feira, 23 de maio de 2011

NADA MUDOU


No começo do mês de Abril, o Internacional contratava como seu novo treinador, o melhor jogador do sul do país, de todos os tempos, e ídolo maior do clube. Paulo Roberto Falcão.

O novo comandante, chegava com pinta de revolucionário. Declarava, já em sua primeira entrevista, a sua pretensão de jogo ofensivo. Objetivando uma mudança de conceito, principalmente, a que crussificava o antigo treinador, Celso Roth, folcloricamente conhecido como retranqueiro.

Pois, bem. O tempo passou, já se vão quase dois meses, e convenhamos, nada mudou. O time continua jogando de forma pouco ofensiva, com receio de ser diferente, e de ousar. Totalmente diferente da proposta inicial do novo treinador.

No último sábado, o que se viu foi um time apequenado, jogando com o sub-20 do Santos. Um time sonolento, quase anêmico, jogando com uma gurizada fraquíssima do peixe.

Cadê a postura, de time grande? Pra onde foi aquela história, de que o time iria jogar fora da mesma forma que se estivesse em seus domínios?

Eu, quero - de verdade - que tudo dê certo pro Internacional de Falcão. Mas desse jeito fica diícil. Só o título nos interessa nesse brasileirão. E, a postura tem que mudar já! É inadmissível empatar com o time "Z" do Santos.

Todos sabemos que fui contra a admissão do atual treinador, pela simples falta de experiência do mesmo. E isso se evidência quando ele tenta corrigir seus erros usando um esquema de jogo que um dia deu certo, com o antigo treinador. E, este, apenas saiu por estar com pensamentos superados e ultrapassados.

Então eu os pergunto: Qual é o esquema, original, de Falcão?

Fui.

2 comentários:

Felipe Cunha disse...

Precisamos de alguns reforços pontuais. Quem faz a diferença é quem entra em campo, treinador é 20, no maximo 30% de um time.

Nelson Willian disse...

Eh apoiado.

Também precisamos de alguns jogadores pontuais...

ZAGA principalmente, meio e ataque..