segunda-feira, 6 de junho de 2011

TENDÊNCIA


Apesar de a vitória ter sido em cima do valoroso e esforçado América-MG, ela foi muito bem vinda. Estávamos, mais do que qualquer coisa, precisando muito dessa vitória.

Porém, mais que o resultado positivo, foi a tendência de um esquema ideal apresentada pela equipe de Falcão. Não mudo aqui minha opinião sobre o treinador. Mas, ontem, vi evolução, tendência, esboço de um time ideal.

O Internacional foi um time leve, agudo, vibrante. Salve isso à escalação. Tinga no lugar do Bolatti - Há quem diga, que, quem deveria sair é o Guiña. Porém, convenhamos, é dolorido tirar essa cara. E, a entrada de Oscar e Cave - O jogador é quem se escala!

Gostei muito do atacante argentino. - O cara é da função - . A sua presença de area é a de sempre estar ali dentro, incomodando, dando o corpo pra bater e botando ela pra dentro. Gosto muito desse cara, é uma pena o que não possa estar sempre à disposição. Se bem que, como já havia frizado, Bolatti esta merecendo um banquinho. O cara ganha a titularidade é no dia-dia, sendo regular. E em cima disso lhes digo, o Cavenaghi é um cara regular, com um padrão de jogo próprio definido, atacar. Já o Oscar, nós ja conhecemos todas as qualidades que esse jovem possui, para se enquadrar no time titular do Internacional.

Portanto, o Internacional, mostra que tem, sim, um grupo para ser campeão. É só parar um pouco e ver as peças que o treinador têm nas mãos. Temos um grupo qualificadíssimo, onde a presença dos "acima da média" consegue se sobrebor as carências do time.

Por enquanto, era isso!

2 comentários:

Felipe Cunha disse...

Concordo com quase tudo, menos com a atuação de Cavenaghi.

Achei uma performance muito pobre, literalmente fez o gol e "só".

Por outro lado, se trata de um bom jogador e que claramente necessita de sequencia.

Sequencia que devido a forte concorrência ele não terá.

Felipe Faria disse...

Na mina visão ele jogou bem sim. E, o Inter não criou tanto para ele ter empilhado chances de gol.

Golo por gol, ele fez o dele e deu passe para o Oscar.

Apesar de discreta, foi uma boa atuação. E, como tu disse tem que ter sequencia.