sábado, 4 de julho de 2009

O BOBO DA CORTE - A CARA DA DERROTA!


Ele chegou ao estádio olímpico com fama de jogador técnico, de fino trato com a bola. Veio para ser o organizador das jogadas tricolores, o cérebro do time!

Pois bem, ao longo do tempo se viu que ele não seria tudo isso. Pior, ficaria bem distante disso.

Hoje em dia costumo dizer que ele só joga quando a bola para, pois sua única contribuição são as bolas paradas, com qualidade, é bom que se diga!

Mas o que acontece com o capitão em momentos cruciais ou longe de sua casa? Eu lhes repondo: MEDO!

Um jogador covarde, que sempre se esconde da sua responsabilidade, tem ânimo de derrotado, cara de perdedor! Sabe aquela criança que só briga quando a mãe está por perto? É ele!

Como que um clube conhecido pela bravura como o Grêmio, pode ter como capitão de sua equipe, um medíocre e covarde jogador? Eu lhes respondo: Ele é um cara super gente boa, de boa índole, amigo de tudo e de todos...só pode ser isso!

Uma braçadeira que já esteve em braços como os de Adílson, Mauro Galvão, Dinho, Zinho, entre outros, deve sentir-se envergonhada ao envolver-se em braços tão derrotados!

Mesmo com tudo isso, ele conseguiu conquistar a torcida tricolor, mesmo sem falar o castelhano que a torcida adora, ele se tornou ídolo tricolor, talvez pela falta de alguem no grupo que preencha a locuna de um grande líder.

Acorde torcedor do Grêmio, acorde direção tricolor, te liga Paulo Autuori, Tcheco não tem a cara do Grêmio!

É hora de acabar com a era do bobo da corte que se acha o Rei!

Abraços!

12 comentários:

Fernando Amoretti disse...

Como já afirmei aqui ele é um coitado.

Um jogador que mesmo que se esconda do jogo algumas vezes, está num patamar acima do resto do grupo de jogadores do Grêmio.

Saudações...

Alexandre Oliveira disse...

Na minha opinião um jogador desprezível! Ridículo!

Abraços!

Fagner Pereira disse...

Acho uma opinião cega sobre um jogador que está longe de ser um craque, mas que também não merece ser execrado desta forma. Se acha desprezível e ridículo, podemos colocar nessa lista alguns jogadores colorados também. Pois derrotados, sairam os dois. Lembra? E eu poderia também postar a cara da derrota colorada, colocando jogadores limitados do internacional também.
Acho que precisamos ter um pouco mais de cuidado nas postagens, para não alfinetar sempre o co-irmão. Aqui nos comentários ainda vá lá. Senão vamos começar logo logo a perder pessoas que entram para ver curiosidades e opiniões mais imparciais sobre jogadores da dupla e até de outros lugares.

valeu!

Fagner Pereira disse...

Mais um dado importante sobre blogs e afins, o blog mais acessado do clicRbs não é um blog que fala só de gremio ou só de inter, é um blog que fala de esquemas táticos dos times brasileiros e dá uma opinião sempre muito construtiva sobre determinados jogadores e estrutura de equipes.

Rivalidade é bom e tudo mundo gosta. Porém, existe um futebol por trás dessa rivalidade. E esse futebol não se limita a própria rivalidade.

Felipe Cunha disse...

Pitaquinho meu.

Concordo com o alexandre sobre o Tcheco, aliás não uma opinião apenas de colorado. Muitos gremistas detestam esse jogador.

Mas tb concordo com o Fagner, podemos abrir os horizontes do blog. Aliás Fagner, e o futebol Internacional como está?

Abraços!

Felipe Cunha disse...

Só um detalhe Fagner.

Concordo que existam jogadores insuficientes no Inter, como em qualquer clube. Mas no Internacional não existe nenhum jogador marcado pela derrota, pela omissão, e que receba tanta moral como o Tcheco recebe o Grêmio.

Alexandre Oliveira disse...

Respeito muito a tua opinião Fagner, mas no meu ponto de vista, não fiz nada além do que prestar um serviço ao Grêmio, este sim, que tem o meu profundo respeito como clube!

Mas esse jogador não merece vestir a camisa de treino de um clube campeão do mundo.

Quanto a listar jogadores medíocres do Internacional, nem precisa fazer este esforço, eu mesmo posso listar aqui uma centena deles!

Mas como disse o Felipe, nenhum deles teve o status de ídolo como o Tcheco!!!

Aliás, cito 1 sim que foi muito querido pela torcida do Inter e era extremamente limitado: ARGEL! Mas não tinha a covardia que tem o pseudo atleta tricolor.

Grande Abraço!

Alexandre Oliveira disse...

E apenas mais uma coisa: Não posso ficar aqui sendo politicamente correto o tempo todo, este é um blog de opiniões...

E logo após a perda do título da Copa do Brasil, desci a lenha no Tite, porque não faria com o Co-irmão?

Abraços!

Douglas disse...

Nao acho que o Tcheco seja esse pessimo jogador como comentaram, razoavel ja ta legal, realmente some nos jogos fora de casa e nao tem a cara do Gremio pra ser capitao...agora alguem ai tem alguma sugestao pra braçadeira, ja que esculachar foi facil vamos la..
Victor - Lider ? Nao ! Otimo goleiro mas calado.
Thiego- Ah tah vamos ao proximo
Leo - Bom zagueiro, mas joga menos do que acha que joga e nao tem cacife pra ser capitao.
Rever- Jogador com a cara do Grêmio, Pra esse seria o C.
F.Santos-Idem ao Thiego
Adilson-Olha pra mim no futuro talvez.
Tulio- Se mostrar o que fez no Botafogo tem chance.
Souza- Joga bola, é a "cereja do bolo" mas é cabeça quente e chora d+.
Herrera-Raçudo mas falta muito.
Maxi - Falta muito, se nem Jardel foi o Maxi nao seria...

E ae qual a sua opiniao ???

Felipe Cunha disse...

O Douglas tocou num ponto importante, a falta de opções.

Mas destes citados, o meu capitão gremista seria Souza. Mesmo que seja reclamão, seria um capitão com moral.

Pedro Rafael Marques disse...

Réver seria o capitão ideal.

O Inter teve dois ídolos, mais do que idolatrados e perdedores nato. Cláudio André Taffarel e mais recentemente o Gamarra.

Detalhe sobre o Taffarel, o melhor goleiro brasileiro que vi. Gamarra, um ótimo zagueiro.

Tratados como deuses e sem faixa no peito.

Fora Tcheco, estou nessa campanha há mais de dois anos.

Felipe Cunha disse...

É verdade Pedro, não colocaram faixa. E na minha opinião títulos são fundamentais.

Mas faço uma ressalva, Taffarel era goleiro não dá para se caracterizar pela omissão. mas Gamarra não era omisso.

E o grande problema do Tcheco além de um histórico perdedor, é a omissão nos momentos decisivos.

Mas bem é verdade, que o maior culpado não é ele. E sim a direção que nunca deram opções melhores aos treinadores do Grêmio.