terça-feira, 10 de novembro de 2009

ERROS EM PROFUSÃO

O cidadão da foto comete erros em série por longos anos, mas mesmo assim permanece prestigiado na Comissão Nacional de Arbitragem. Após uma sequência que o acompanha desde 2005, ele ainda é cotado para ser o árbitro brasileiro na Copa do Mundo. Impressionante!

No ano de 2005, a sua sina de erros começa com a decisão do Gauchão daquele ano, em que do alto de sua autoridade, ele comete um erro grotesco na contagem de tempo da prorrogação, e insiste que aquilo era uma norma da International Board. Na decisão do ano posterior, ele permite que uma bola recuada com o pé, seja pega com as mãos no GRENAL decisivo. Em 2007, ele rouba descaradamente do Atlético/MG num pênalti escandaloso. No ano passado, teve o lance do Tardelli que jogava no Flamengo,e fora derrubado num carrinho violento dentro da área contra o Cruzeiro. Já em 2009, ele tem três pérolas. A primeira abrange novamente um GRENAL, onde ele deixa de expulsar o atacante Jonas num carrinho criminoso por trás em Nilmar e após acompanha a insanidade do bandeirinha que anula um gol legítimo do GRÊMIO. No jogo Ceará e Fortaleza, assinala um pênalti em que o atleta não é tocado por ninguém. E a do último final de semana, foi clamorosa.

Porém, entendo que os erros são parte da natureza humana, mas o mais surpreendente nesse cidadão é que ele NUNCA admite o erro. E isso considero deplorável num ser humano.

O nosso melhor árbitro, de forma incompreensiva está longe dos grandes jogos em 2009. Trata-se de Leandro Vuaden, que adota um estilo que mais me agrada em termos de arbitragem.




2 comentários:

Felipe Cunha disse...

Gaciba e Vuaden são muito melhores que o Simon, o Simon já é um aposentado em atividade.

Só uma correção, o lance do ano passado do Diego Tardelli, tem uma camera exclusiva da ESPN que mostra que não houve nada...

Mas é só nessa imagem que da pra ver que nao foi penalti...

Fernando Amoretti disse...

Realemente a punição para o Simon se justifica pela sucessão de erros.

Mas quanto a marcação de falta de Obina achei correto.
O Obina impede que o zagueiro suba na bola, e faz isso claramente com o braço direito.
O Simon apitou antes da bola entrar, ou seja, o gol não existe pois a bola não estava em jogo.