quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

CASO JÓBSON




É lamentável o episódio Jóbson que estende-se desde o final de 2009. O jogador flagrado duas vezes no teste anti-doping por cocaína declarou agora seu vício na droga mais mortal conhecida no Brasil que é o crack.
A decisão da punição de 2 anos para o jogador, mesma punição sofrida por Dodô quando flagrado com remédios é contraditória no que diz respeito ao lado humano. O esporte deve ter papel fundamental na recuperação de qualquer indivíduo atormentado pelo consumo de drogas. Porém a não-punição poderia abrir precendentes muito perigosos para que outros atletas fizessem uso de substâncias proibidas e contassem apenas com o lado humano dos tribunais, deixando assim de lado as leis do esporte e das competições que prevêem punição severa aos atletas pegos no doping.
Se Jóbson realmente estiver arrependido como aparenta estar, então terá que mostrar que seu amor ao futebol é maior que a dependência da droga. Deve se manter limpo e em forma se quiser que o futebol lhe aceite novamente.
Agora ele está sob os olhares atentos dos clubes que pensaram uma vez em contratá-lo, o Cruzeiro melou o negócio por conta do doping.
A desconfiança, agora faz parte do caminho para o retorno desse jogador aos campos, tinha potencial, resta saber se ouviremos falar dele daqui a 2 anos no futebol, ou em menos tempo nas páginas policiais.

Saudações...

2 comentários:

Felipe Cunha disse...

Uma pena, mas pela bola que apresentou era só mais um...

Pedro Rafael Marques disse...

Esse vai ficar no meio do caminho.