terça-feira, 17 de maio de 2011

RACISMO, DE NOVO!


É muito complicado falar sobre racismo, ainda mais quando tratamos este assunto de forma séria. Ouvi diversas manifestações sobre o episódio acontecido no Olímpico, quando Zé Roberto foi chamado de macaco entre outras coisas por alguns torcedores gremistas.

O mais triste é ver torcedores do Grêmio tentando explicar o acontecido, afirmando que "macaco" é a forma que gremistas se referem aos colorados. E que então os gritos não eram direcionados diretamente para o atleta em questão, mas sim de uma forma generalizada.

Outra explicação enfadonha é que os torcedores do Inter não deveriam se ofender ao ser chamados de macacos. Afinal de contas alguns torcedores usam fantasias do animal, o clube tem um mascote que é um macaco e existem faixas da torcida se auto-denominado como macacos.

BALELA! CONVERSA FIADA!

Torcedor de futebol não é burro, todos sabem que muito mais importante do que palavras, é a FORMA com que elas são ditas. A conotação com que são colocadas é o que vale. Ou estou falando alguma novidade?

Só falta algum torcedor do Grêmio dizer que quando chama um colorado de macaco, é uma forma "carinhosa" de se dirigir ao co-irmão. Tenham a santa paciência!

Atitudes racistas não são novidades no universo tricolor, isto é histórico. É de conhecimento geral que existe dentro da torcida gremista uma facção que age de forma racista (GAS - Geral Ataque Surpresa), todo mundo sabe. Mas é mais fácil "fechar os olhos".

Também é verdade que estas atitudes nojentas são de uma minoria, não retratam a verdadeira torcida tricolor, mas elas existem, infelizmente. Aos gremistas que não fazem este tipo de coisa não cabe querer explicar, mas sim REPUDIAR!

Estes episódios lamentáveis acontecem com outras torcidas também. E só vejo uma maneira de se terminar com esta palhaçada, punição aos clubes! Somente assim estes retardados irão parar com isso, e é claro que se identificarem o imbecil que praticou o racismo... Cadeia nele! Xadrez! Chilindró!

Seria de excelente tom, se a direção gremista realiza-se uma GRANDE campanha contra o racismo nos estádios de futebol. Ao invés de dar explicações fajutas e absurdas como fizeram hoje alguns dirigentes e ex-dirigentes tricolores.

E era isso!

11 comentários:

Felipe Faria disse...

Eu preciso comentar alguma coisa?

Felipe Cunha disse...

Acho que não Faria.

Lamentável.

Nelson Willian disse...

Daew felipe leia..

A CHATA QUESTÃO DO RACISMO
18/05/2011-14:19:33

A manchete acima é de minha responsabilidade. O texto abaixo é do talentoso blogueiro, Lauro Tentardini que, aliás, estará participando ao vivo na próxima sexta do nosso programa esportivo na rádio Pampa. Acredito que ele resume tudo a respeito do recorrente assunto do racismo no futebol.


O mundo está muito chato!

Que saudades do passado! Era tão bom quando o Viola fazia um gol no Palmeiras e imitava um porco. E o Paulo Nunes pulando como o Saci, após marcar um gol de bicicleta.

Era tão legal quando o Olímpico era chamado de Remendão. Que tal aquele coro "urubu otário" em alusão a torcida do Flamengo. E até mesmo o "gaúcho veado", por que não?

O mundo está ficando muito chato. O fim dos prazeres da vida chegou quando os médicos inventaram a mania da higienização. Não poderíamos mais ingerir nada, pois tudo causaria câncer.

Aliás, se fôssemos seguir à risca as orientações médicas pra evitarmos câncer, morreríamos de fome. Conseqüentemente, o esporte, assunto prioritário deste blog, tem sido atingido.

No Brasil, o politicamente correto está acabando com o futebol. Quando o Leandro Damião fez o gol contra o Caxias, no estádio Centenário, e "levantou a placa dos acréscimos", tomou um pau federal da imprensa.

Os politicamente corretos disseram que Damião não poderia provocar o rival. Ora bolas, mas que bobagem! O futebol não é teatro. É um esporte e a alma dele está na flauta. Ou vai morrer como o vôlei, multicampeão, e sem público.

Depois veio o jogo em Huánuco, entre o Grêmio e o León, e o Carlos Alberto imitou a dancinha do goleiro Kidiaba. Foi execrado por todos. E ainda houve os que quiseram multá-lo pela comemoração. Que bobagem! Daqui uns dias os jogadores vão errar gols por medo de serem multados pela comemoração.

Agora veio a polêmica do racismo. Respeito muito o doutor Roberto Siegmann, homem de pulso forte e que faz ótimo trabalho no Internacional, mas é uma polêmica desnecessária.

Primeiro, porque o Internacional adotou o macaco como um símbolo do clube. E depois, porque os próprios torcedores levam faixas "Macacada Reunida" e cantam "ah! Eu sou macaco!".

Mais: E como ficam aqueles torcedores do Inter que chamam os gremistas de "gaymistas, gazelas ou veados"? Também é uma ofensa ou não?

Pois bem, pra minha surpresa, no programa do Ricardo Vidarte, na rádio Pampa, o advogado do Internacional, Rogério Pastl, disse não saber se tais adjetivos configuram ofensa.

Com todo o respeito ao doutor, mas depois de tal afirmação eu poderia perguntar se ele comprou a carteira da OAB.

Mas não. Isso apenas mostra que no futebol, até para os advogados, tudo é visto conforme a ótica do clubismo. O que desmantela completamente a tese de racismo da torcida do Grêmio.

Portanto, sejam mais "Damião" e menos politicamente corretos. Do contrário, tudo será "bullying". O que não for "bullying" será homofobia.

E o que sobrar disso tudo será racismo. Seremos apenas soldadinhos, calados a serviço do politicamente chato e do mundo cada vez mais sem graça.

O futebol é a alegria do povo. É brincadeira, diversão. É esporte e não tragédia.

Lauro Tentardini


fonte:
http://www.vidartereporter.com.br/

Felipe Cunha disse...

Nelson, eu li ontem este post que foi divulgado pelo Ricardo Vidarte no seu blog. E achei LAMENTÁVEL. Inclusive comentei lá no post mesmo.

Abaixo o meu comentário:

Antes de comentar indico esta leitura sobre este assunto: http://bit.ly/ifjMF3

Depois tenho duas perguntas:

O amigo Lauro Tentardini é negro? É colorado ou gremista?

Com estas respostas já podemos ter um bom embasamento sobre sua opinião.

Gremista chamar colorado de MACACO, é racismo sim!

O que vale é a conotação e não a palavra em si.

Sim,chamar gremista de veado, gazela, gaymista, é ofensa, MAS NÃO É RACISMO!

Os gremistas chamam os colorados de "moranguinhos", "coloridas", etc... E não se gera polêmica sobre isso. Ofensa e uma coisa, racismo é outra bem diferente!

Uma coisa é eu dizer: EU SOU MACACO, outra coisa é minha torcida adversária cantar: "CHORA MACACO IMUNDO".

Existe uma diferença oceânica de uma coisa para outra.Ou alguém vai me dizer que os gremistas quando chamam os colorados de macacos querem ser carinhosos?

Já perguntaram para um colorado NEGRO, como ele se sente sendo chamado de macaco?

Me espanta que dos poucos gremistas negros que conheço, nenhum deles se refere aos colorados como macaco. Estranho, não?

Vamos largar a hipocrisia, ao invés de querer explicar o inexplicável, vamos REPUDIAR O racismo!

Só no RS se discute se chamar alguém MACACO é racismo ou não! Experimente chamar um negro de macaco lá no Rio de Janeiro ou em qualquer outro estado do Brasil.

Palhaçada! Existem milhões de maneiras para se brincar com futebol, é racismo não é uma delas.

Data: 18/05/2011 Hora: 14:50:21

Felipe Cunha disse...

Enquanto tratarmos um assunto SÉRIO como este, como discussão de futebol nada será feito.

Racismo é crime! E deve ser tratado como tal. É algo muito além de ser gremista ou colorado.

Me permito te indicar esta leitura Nelson, segue abaixo:

O racismo banalizado

Um dos aspectos mais repugnantes da humanidade é o racismo. Foi o responsável pelas mais absurdas passagens da história do homem: escravidão, preconceito nos Estados Unidos e na África do Sul, entre tantos outros episódios nefastos. Milhares de pessoas foram tratadas como sub-humanas em razão da cor da pele. Claro que há outros preconceitos que devem ser combatidos e repudiados, mas esse é o mais abjeto, pois decorre de uma questão genética.
Domingo passado, quando o Internacional pela 40ª vez sagrou-se Campeão Gaúcho, assisti perplexo a uma cena primitiva. Torcedores das cadeiras e sociais do Estádio Olímpico gritavam "macaco.... macaco...", enquanto o atleta Zé Roberto aquecia para entrar em campo.
Quando o jogador entrou em campo, dando um verdadeiro show de bola, lembrei logo daquele episódio nos Jogos Olímpicos de 1936, quando em plena Alemanha nazista, Hitler desfez do atleta americano negro Jesse Owens. Pois mesmo contra tudo e contra todos, Owens venceu quatro medalhas olímpicas deixando irado o ditador germânico. Naquela época os fundamentos ideológicos repousavam na idéia racial de que havia uma raça ariana superior às demais.
De volta à nossa realidade e ao episódio com Zé Roberto, apenas algumas manifestações de narradores, repórteres e comentaristas noticiaram o fato no Estádio Olímpico. Mas, com todo o respeito a eles, nada além disso.
Da mesma forma, os procuradores do TJD, órgão administrativo da FGF, nada fizeram. Repito: o fato foi público e notório. Parece que a FGF está mais preocupada com palavrões e ilações absurdas para noticiar aos seus procuradores do que com um fato que é criminoso e odioso.
Imediatamente, vendo a reação do nosso jogador, tomei as providências cabíveis para noticiar com provas o ocorrido ao presidente da FGF. Soube hoje que a Segunda Delegacia de Polícia Civil instaurou inquérito para investigação do fato.
Enquanto isso, meu Twitter foi invadido uma vez mais por racistas, neonazistas e jovens arrogantes que se postam como se integrassem uma elite inimputável. Um absurdo.
Amanhã mesmo vou abastecer meu requerimento e a delegada responsável com mais provas, inclusive manifestações da Internet.
Algumas questões, todavia, ficam sem resposta:
Onde estão os movimentos de defesa da igualdade racial?
Onde está o Ministério Público?
O que fará o TJD para punir a agremiação pelo ato de seus sócios?
Por que a imprensa não repudia com veemência o ocorrido?
Por que as empresas de comunicação não lançam campanha contra isso?
Tenho orgulho de ser gaúcho, mas não há dúvidas de que o nosso estado convive com uma banalização do racismo. Já vi manifestações racistas até mesmo nas cadeiras do Beira-Rio. Algo tem que ser feito. Um cidadão que assiste a uma manifestação racista deveria chamar um policial, denunciar e exigir a prisão em flagrante do ofensor.
Peço desculpas ao Zé Roberto por tudo que tem ocorrido com ele nessa cidade e nesse estado. Infelizmente temos uma elite burra e que muitas vezes não tolera ver um negro em evidência. De qualquer maneira, isto tem que mudar um dia. Não podemos tolerar esta banalização do racismo. E que atos como o do último domingo sejam denunciados e combatidos sempre.
Postado por robertosiegmann às 18:28

FONTE: http://robertosiegmanncolorado.blogspot.com/

Nelson Willian disse...

Eu concordo, sei que na torcida do grêmio tem um grupo racista, como sei que no RS tanto gremista e colorados tem grupos racistas..

Sei que muitos gauchos se acham diferente do resto do Brasil etc..

Eu repudio isso.

Mas acho que o ze roberto, poderia não ter se abalado..
Jogo a bola dele,, foi campeão, é o que basta!
Calou esses racistas.

Não adianta, fazer alarde, porque como foi a torcida, não tera solução.

Sim concordo, que o grêmio deve voltar as campanhas contra-racismo.

E se todo mundo sabe que existe grupo racista no grêmio, deveriam ir atras desses para prende-los!

Felipe Cunha disse...

Exatamente Nelson.

No Beira-Rio eu nunca vi este tipo de manifestação até pela origem do Inter. Mas não quer dizer que não exista. Se existir, que se puna com veemência.

Sobre o caso do Zé Roberto, é complicado Nelson. É uma questão muito particular. Alguns sabem lidar bem com isso, outros se abalam.

Só não concordo em relação a não fazer alrde, tem que fazer sim! Estamos no século 21, vivemos em país democrático, com uma misturada de raças danada!

TEM QUE HAVER RESPEITO!

Priscila Ulbrich disse...

Pessoal, não chamamos nossos amigos de macaco em nenhuma conversa de bar. Veado eu já chamei muitos amigos. O Zé Roberto é uma pessoa que não merecia isso. Não generalizo a atitude como sendo do Grêmio. Por isso mesmo, acho que em questões como essa, as diretorias deveriam se unir, fazer uma campanha, exaltar o respeito ao ser humano, e não tentar se autopromover com a situação.

Na dúvida se houve ou não, escolha sempre o ser humano, não uma instituição.
Adorei o blog de vcs. Parabéns

Priscila

www.donasdabola.com.br

Alcides Ellert disse...

Em meus 40 e poucos anos de idade, não conheço nenhum gremista que tenha chamado um colorado de "macaco", só por chamar...

Sempre vi no chamamento, o RACISMO e a soberba gremistas como fato V-E-R-D-A-D-E-I-R-O; arrogância e prepotência também fazem parte do "cardápio"...

Mas, isso é papo pra outra hora!

Mas, duvido que aconteça algo de fato.

Agora, sentencio que se fosse feito por parte da torcida do Inter, mesmo o gremio não querendo, a RBo$ta se dedicaria com toda ênfase ao assunto para DENEGRIR a imagem do Inter...

Alguém "enxerga" algum empenho da imprensa, para esclarecer esse caso; sendo que, NÃO FOI A 1ª VEZ QUE ACONTECEU NO olimpico???

Nelson Willian disse...

Caso seja condenado, o clube gaúcho poderá perder o direito de jogar no Estádio Olímpico por até 360 dias, além de pagar multa que pode variar de R$ 100 mil a R$ 200 mil. Se algum torcedor for identificado, sua entrada no estádio deve ser proibida por, pelo menos, 720 dias.
Além da denúncia feita ao TJD, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul abriu inquérito para investigar o caso relatado pelo meia-atacante. Na ocasião, Zé Roberto classificou os gritos de "macaco" da torcida gremista de "nojentos".


¬¬

Felipe Cunha disse...

Algo deveria ser feito e foi.

Mas que as atitudes não sejam tomadas somente contra o Grêmio, e sim contra qualquer clube que tenha um torcedor imbecil que repita tal atitude.