quarta-feira, 23 de setembro de 2009

APAGADO E ILUMINADO


O futebol encanta a todos por seu dinamismo e por ser marcado sempre por fases.
Ná prática quer dizer que craque de hoje pode ser o fracasso de amanhã e vice-versa.

Procuro neste post fazer um paralelo com os principais atacantes da dupla Gre-Nal.
Taison: vive uma fase ruim, há meses.
Jonas: vive uma fase ótima, faz tempo. É goleador do campeonato com 13 gols.
As fases se inverteram na mesma temporada.

Não estou aqui questionando minha própria posição que acredita que Taison é mais jogador que Jonas. Porém os dois vivem momentos muito distintos. Jonas é muito mais importante para o Grêmio do que Taison para o Inter.

Taison, sofreu uma superexposição devido a suas atuações principalmente no Gauchão desse ano, quando Jonas ainda era contestado.

Jonas, viu seu potencial ser questionado várias vezes fora e dentro do Olímpico quando da contratação de Alex Mineiro que mostrou-se inoperante e totalmente inadaptado à Azenha.

Taison por sua vez, era a "Fera do Beira-Rio". Ovacionado, elogiado. E hoje é escurraçado do time levando toda a culpa pelos fracassos colorados. Ele pode não ter a culpa toda, mas um time que entra com dez em campo facilita demais a vida do adversário.

Jonas foi alcançando seu espaço não com boas atuações já que não possui habilidade para isso. Mas faz exatamente o que se espera de um atacante: golo. É isso que esperamos de Taison.

Jonas dá um certo tapa de luva na direção tricolor e Taison causa grande decepção a dirigentes e torcedores.

Saudações...

14 comentários:

Felipe Cunha disse...

Quando Taison foi artilheiro do Gauchão e Copa do Brasil ele trouxe para si mesmo uma grande responsabilidade.

Junto com esta responsabilidade vieram a badalação sobre ele, e foi ai que na minha opinião o guri de origem humilde se perdeu.

E mesmo que ele esteja errado e esta, eu entendo o que se passa na cabeça do muleque. Morava numa casa humilde em Pelotas com 9 ou 10 irmãos, mal tinha dinheiro para se alimentar e de uma hora para outra aparece cifras inimagináveis por ele na sua conta. Ele era feio, agora é "bonito"...

Trocando em miúdos, a fama subiu para cabeça do garoto. Se ele não tiver cabeça e uma estrutura por trás que o faça entender que futebol é momento e não adianta ir bem "de vez enquando", corre sérios riscos de colocaruma carreira promissora no lixo.


Jonas, é Jonas e sempre será Jonas. Um jogador mediano e muito esforçado que vive um momento mágico, ele deve aproveitar ao máximo a boa fase, inclusive buscar espaço no exterior para ganhar uma bela grana...

Fagner Pereira disse...

Neste caso, bom para o Inter que tem reservas e opções, se Jonas falhar no Grêmio, babaus, não temos ninguém, tem que inclusive torcer para Jonas não se machucar, acredita?!

Mas de nada adianta ter opções se o treinador colorado não tiver coragem de promover a mudanças. E para o Inter voltar a pensar em ser campeão terá de promover mudanças. E poderia começar por Taison e D'Alessandro que não estão jogando nada.

E fica a pergunta, não seria melhor perder para o Flamengo em casa para forçar o treinador a promover mudanças?

Fernando Amoretti disse...

Fagner concordo que deve haver mudanças, mas é dificil pro torcedor pensar em derrota.

Felipe Cunha disse...

D'Alessandro virou Cristo no Beira Rio, desde sua volata o único jogo que ele foi mal e realmente muito mal foi na Bahia contra o Vitória.

Decidiu contra o Galo, foi importante na vitória frente ao "Rauai" (hehehe) e gastou a negâ contra o Cruzeiro...

Então muita calma nessa hora...

Fernando Amoretti disse...

O problema do D'Ale é que quando ele vai mal, ele vai muito mal. e prejudica o time inteiro.

Já o Taison, joga mal mas ás vezes não compromete o resultado da partida.

Felipe Cunha disse...

Concordo Fernando. O D'Alessandro é que nem era o Clemer, quando tomava frango era frangasso.

O argentino é 8 ou 80, isso é ruim.

Fagner Pereira disse...

Não achei toda essa bola contra o Cruzeiro...

Felipe Cunha disse...

Na minha opinião ele jogou muito contra o Cruzeiro.

A atuação dele só não foi destacada pela imprensa pq o Inter perdeu o jogo.

O D'Alessandro é "jogador marcado", se ele erra não joga nada, se se irrita é irreponsável, se não da entrevista é mascarado e por ai vai.

Mas é normal, todo grande jogador sofre grandes cobranças, com ele não seria diferente. Só se cobra dele, pq se sabe o que ele é capaz de fazer...

Fagner Pereira disse...

Pra ele falta repetição de boas atuações, é instável e oscila muito de rendimento.

Fernando Amoretti disse...

Concordo com os dois.
Jogou muito contra o Cruzeiro e nada contra o Vitória.

Falta-lhe regularidade.

Felipe Cunha disse...

Como falei, o que atrapalha ele são os extremos. Ou ele joga muito, ou vai muito mal.

Mas o que vejo é que se utiliza uma cobrança sobre ele que não vejo em outros jogadores. Por exemplo o Souza, que já foi mal em muitos jogos pelo Grêmio...Principalmente fora de casa e nunca se cogitou tira-lo do time.

Usei o Souza como exemplo pq é da mesma posição que o D'Alessandro.

Fernando Amoretti disse...

D'Ale tem reposição.
Souza não.

Fagner Pereira disse...

Souza não é brilhante... é um bom jogador. Mas é como falei, em time que se tem opções, há espaço para contestações e mudanças, onde não tem opção, vai tu mesmo que tá ótimo...

Felipe Cunha disse...

Fagner é bem por ai...

Apesar que esta história de super grupo do Inter é lenda, como é tb lenda q a folha salarial do Grêmio é MUITO menor que a do Inter...

Aliás, esta semana vou escrever sobre isso...Bom tema.