quinta-feira, 24 de setembro de 2009

INTER SAI DE CAMPO VAIADO


Não quero que os colorados do blog entendam esse post como escrito por um gremista. Quero que esse post sirva como uma reflexão e que ele posso ser esclarecedor para quem entra aqui até para saber como estão as coisas mais íntimas do futebol gaúcho com pitadas de futebol brasileiro e até internacional.

Bem, vou começar do início, fiquei triste quando vi o Inter entrar em campo com uma camiseta dourada e totalmente descaracterizado. Ok. Marketing. Ok? Não. Não está Ok. Patrocinadores de clubes do brasil, "listening to me": - Não é necessário descaracterizar os uniformes, basta fazer bem feito o uniforme principal, isso basta para alavancar as vendas. Querem fazer alguma coisa diferente? Pois façam, mas não mudem a história dos nosso clubes. E não é só o Inter, o Grêmio também sofreu com a camisa de Rugbi, mas ao menos não mudou para laranja. Blz.

Dito isso, vamos em frente.
O Internacional entrou desmotivado. Sim, digam o contrário, mas o colorado do primeiro tempo era de longe o Inter de otros jogos. Sem a presença de sua torcida, o Beira-Rio ficou neutro. Quere saber, acho que se eu fosse jogador e tivesse que jogar contra o Universidad e já estivesse desmotivado pelas últimas atuações, pensando no brasileiro e entrasse em campo e visse ele vazio. Pronto, fudeu!? Será que isso não passou pela cabeça dos jogadores? Bem, se foi isso ou não eu não sei, o fato é que o Inter entrou lento. Acho que o esquema 3-5-2 no beira-rio cai por terra por não ter peças adequadas e tempo de adequação. Se fosse tão fácil trocar de esquema assim, de uma hora para outra, não teríamos mais treinadores e sim dirigentes a beira de campo. Mas Tite repetiu e insistiu no erro de tentar implantar um novo esquema em 30min. Começa por aí o erro do Internacional diante do Universidad. Mas então aos 30 do primeiro tempo estava tudo resolvido, vocês me dirão. Sim, esquema tático sim, mas e os jogadores?

Eu falei em um comentário que o Tite precisaria fazer mudanças no colorado para fazer a equipe render. Daí ele tirou Taison da equipe e manteve a base. Taison era apenas um detalhe. Sim, ele estava em um mal momento. Se for por mal momento, D`Alessandro também deveria ter saído, ontem ele errou praticamente todos os passes que deu. Bem, mas Tite mudou, e além de mudar pouco, mudou o mais difícil, o esquema. Bem, daí o Inter não funcionou, os alas não fechavam pelo meio, deixando Guinazu sobrecarregado, pois Sandro estava bem avançado e demorava para voltar. E se formos ver os lances, Guinazu conseguiu frear alguns contra ataques, mas uma hora ele não frearia. E foi o que aconteceu. Deixando o goleiro Lauro sem nenhuma proteção, tanto foi que falhou. Culpa da bola? Pode ser, mas não é desculpa para adivinhar o canto.

Veio o segundo tempo e o Inter sucumbiu até os 22 minutos. Não jogou. Era marcado e bem marcado. Conseguiu o seu primeiro chute a gol as 14min e só aos 22 começou a se achar em campo. O Universidad tem uma boa defesa, bem postada, tem um goleiro que além e sorte tem muito bom posicionamento e sabe tocar a bola. Porém, vimos que aos 30min o U cansou. Bem, aí todos viram, o Inter amassou, sufocou e perdeu gols sucessivamente, até que o lateral da seleção apareceu pelo lado mais frágil da defesa e fez o gol de empate.

Mas o que precisa o Inter para superar o Flamengo, que parece ser melhor que o Universidad? Na minha opinião, o Inter precisa primeiro de um motivador, o time precisa de confiança, precisa acertar. Depois o Inter precisa definir um time e uma forma de jogar, seja no 3-5-2 ou no 4-4-2 ou 3-6-1 não sei, mas o Tite, já deveria saber. E se quiser ganhar do Flamengo, precisa parar Adriano. Tarefa difícil? Se estiver motivado e afim de jogar, pode conquistar uma vitória como a do Palmeiras ontem e encaminhar uma retomada. Mas isso é assunto para domingo.


Abraço a todos.

3 comentários:

Fagner Pereira disse...

Ahh, e esqueci de dizer que a dupla Taison e Edu funcionou melhor. É de se testar.

Felipe Cunha disse...

Belo comentário Fagner.

Na verdade o Tite já havia achado uma forma de jogar com Giuliano. Sem este jogador é preciso buscar alternativas...

Tb gostei do Edu, eu daria sequência com ele e o Alecsandro.

Fernando Amoretti disse...

Belo post. Bela análise.

Mas quero ver Marquinhos e Edu juntos.

Em relação ao esquema, defendo o 3-5-2 sempre pois favorece estilo ofensivo.